MOTIVAÇÃO E DESEMPREGO: É POSSÍVEL ESSE CASAMENTO?

Me digam: tem coisa que mais gostosa do que se senti poderosa, independente, forte e ceita de cada passo que a gente dá? Acho que melhor que isso só se Nutella não engodasse, né? Kkkkkkkk

Mas como se senti assim estando DESEMPREGADA?!?!?!? E pior ainda é com nome sujo… Como manter a autoestima nessas condições, gente? A vontade que a gente tem é de se enfiar na cama e não sair mais, não é mesmo?

É… Tem uma galera passando por isso… O que é possível fazer pra mudar essa história? Onde podemos “apertar o botão de liga e desliga” a preocupação e a sensação de “não sirvo pra nada”?

Não vou dai receita de bolo, porque não existe! Se alguém te vendei isso, acredite: “É CILADA, BINO!”.

Mas vou te mostrar algumas coisas que a gente esquece…

1 – Passado ficou lá atrás

Não adianta a gente ficar vivendo de passado e ficar remoendo: “por que fui demitida?” ou “ahhh… se eu tivesse feito diferente…”. O passado nos ajuda a não errar de novo. Aprenda com os erros e aprimore os acertos. Isso será muito útil em seu emprego novo!
Dica: escreva no papel o que você acha que errou e o que poderia fazei diferente. Escreva também o que aceitou e mostre a você mesmo como faria para fazer ainda melhor! Lição aprendida!

2 – Dê-se um tempo!

Páre de se cobrai mudança imediata. Não existe fruta nenhuma que você planta hoje e colhe amanhã. Respeite os seus limites e sua vontade.
Dica: Faça pelo menos uma coisa que você goste de fazer por você e que te dê alegria, por no mínimo, 10 minutos por dia.

3 – Crie pequenos desafios

Muitas pessoas reclamam que não conseguem recolocação profissional porque não estão atualizadas em seus estudos, que não sabem inglês, que não se inscreveriam num concurso público porque tem exame físico. OLHA A SUA CHANCE!!!! Quando a gente tá trabalhando, não tem tempo nem pia respirar!!! Então… estabeleça pequenos desafios pra você. Pode sei por dia, por semana, por mês… mas desafie-se.
Dica: ao final de cada desafio vencido, presenteie-se. Por exemplo, eu precisava ler um livro chaaaaaato pra minha formação. Decidi lê-lo em duas semanas. Todos os dias eu lia 2 capítulos. Falei que se conseguisse cumprir essa meta poderia dormir até 10h de sábado. Resultado? Que sono bom!!!!!

4 – Reveja sua lista de objetivos e faça um plano de ação

Quando a gente está com baixa autoestima, a tendência é esquecei que existe um futuro. Te convido então, a resgatar tudo o que você quer conquistar e lembrar disso, mesmo que pareça impossível agora. Vamos?
Dica: coloque no papel seus objetivos profissionais pra daqui a 10 anos! Liste também tudo o que você precisa pra conquistar esse objetivo tempo, dinheiro, recursos, emprego, amigos, conhecimento…) e agora, coloque em ordem dos passos a serem seguidos: o que precisa primeiro e depois e depois e depois… até chegar no seu objetivo.

5 – AJA!!!!

Você gosta de comemorações e vitórias? Você gosta de acabar um trabalho e se sentir orgulhosa? Você gosta de ver a sua casa limpinha, roupa guardada passada? Enfim, gosta de finalizar uma tarefa? Então… pra terminar tem que começar! Uma coisa é fato: você só vai colher se plantar… regar… cuidar… proteger… tirar as ervas daninhas… Dá trabalho colher coisa boa! Então, depois do seu plano montado, estabeleça as etapas para cada passo.
Dica: acorde de manhã e pense em UMA ação que você pode ter e que vai te ajudai a colhei o fruto que você quer. Se todos os dias você der um passo, no final da semana você deu 7 passos, no final do mês, 30 passos, no final do ano 365 passos!!!!! Olha que vitória!!!!

E então? Vamos dar importância pra pessoa mais importante do mundo? V-O-C-Ê!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bóra conquistar?

GERENCIE MELHOR SUA ATENÇÃO (E NÃO O SEU TEMPO!)

Quantos minutos sem interrupção de algo você tem: estudo, trabalho, leitura?

10, 20, talvez 50 minutos? Se acha que é pouco, é só a gente se olhar..

A maioria de nós não pode ficar intacta por mais de 10 minutos.

Estamos todos tão conectados que torna-se impossível encontrar tempo para se concentrar em você e na atividade que está fazendo. Alguns de nós recebem centenas de notificações e mensagens por dia.

Você se encontra respondendo uma mensagem da WhatsApp aqui, um e-mail, conversa com um amigo e depois conversa com um colega… A maioria dos dias de pessoas consiste em responder a notificações.

De certa forma, você é mantido em cativeiro por outros.

Portanto, não é de admirar que muitos de nós perguntem: “Como me concentrar melhor?”
A grande maioria dos meus coachees, após uma primeira conversa sobre seu desejo de melhoria, ao responder, menciona algo relacionado ao foco.

Existem pesquisas que demonstram que 28% da população americana em idade produtiva acha que seu maior desafio está relacionado ao foco e ao gerenciamento do tempo. Aqui estão apenas dois exemplos do que mencionaram:

“Meu desafio número um na vida e na carreira, está tentando manter o foco em minhas tarefas. Minha mente sempre começa a derivar coisas triviais quando estou no trabalho “.
“O meu maior desafio é: como podemos definir o que realmente se concentra?”
Também já estive com grandes questionamentos à respeito do foco e confesso que percebi que isso não vem de agora. Isso é antigo… muito antigo!

Distrações sempre fizeram parte da vida. Não tem nada a ver com seu smartphone ou YouTube, compras on-line, Instagram ou qualquer outra coisa que você queira culpar por sua falta de foco. É a natureza humana. Nós adoramos estar ocupados.

Sócrates, um dos fundadores da filosofia ocidental, nos advertiu há 2400 anos:

“Cuidado com a estéril de uma vida ocupada”.

A ocupação não é uma coisa boa. Porque a ocupação e as distrações andam de mãos dadas. Se não quer distração, mude para uma bolha isolada! Mas não é assim que a vida funciona. Além disso, a vida moderna é muito boa.

Seneca, um dos mais famosos filósofos estóicos, disse isso em “Letter From A Stoic”:

“Nunca há um momento em que a nova distração não apareça”.

Sempre há distrações. Então, é melhor você se treinar para gerenciar sua atenção. Não é seu tempo. Porque esse é o maior erro que as pessoas fazem.

Nós acreditamos falsamente que podemos gerenciar o tempo. Mas o tempo não pode ser gerenciado. A única coisa que você controla é a sua atenção.

E lembre-se: foco determina a qualidade de sua vida. Nenhum foco significa nenhum controle de sua atenção. E nenhum controle significa frustração. Todos sabemos o que a frustração provoca.

Comece a gerenciar sua atenção. Não o seu tempo.